ERASMUS+ Ir, voltar e até ficar!

Matilde Rosa, aluna de Web Design, estagiou em Berlim e ficou: “Foi a melhor experiência da minha vida: no final do estágio o meu chefe perguntou: “Queres voltar para Portugal?" e eu respondi que gostava de ficar em Berlim… mas que tinha de aprender alemão!  Ele, com a sua simpatia habitual disse "Podes continuar a trabalhar connosco".

Praga, na República Checa, rendeu-se ao profissionalismo dos finalistas ETIC: após o estágio, Leandro Filipe -Designer Gráfico- foi convidado a ficar na DDB Prague e João Teixeira – curso de Motion Design- recebeu uma boa proposta de trabalho do estúdio de Design The Anatomy of Brand.

Preparados e motivados, são muitos os alunos ETIC que partem para um estágio profissional ERASMUS+ numa cidade europeia, por 3 meses. Levam a mala cheia de entusiasmo e expetativas, trazem muita confiança no regresso.

16 países já receberam os alunos ETIC: Reino Unido, Itália, Espanha, Alemanha, Finlândia, Suécia, Dinamarca, Estónia, Roménia, Polónia, Grécia, Bélgica, República Checa, Irlanda, França e Islândia.

Dúvidas e incertezas também fazem parte.

Ana Neves, de Fotografia, desabafa no seu regresso a casa, após 3 meses em Málaga/Espanha: “Existem alturas em que nos questionamos para onde vai a nossa carreira, se somos suficientemente bons naquilo que fazemos, se sabemos sequer o que estamos a fazer. Temos a cabeça recheada de dúvidas… independentemente da quantidade de pessoas que nos garante que o nosso trabalho é óptimo. Fazer parte de um grupo de criativos composto por 6 pessoas de áreas diferentes revelou-se uma ajuda preciosa a combater e partilhar estes receios, ensinou-me a encarar o uso de diferentes abordagens a novos projectos, a trabalhar em equipa - situação que não é muito frequente na vida de um fotógrafo e, claro, conheci pessoas absolutamente fantásticas com as quais tenho mantido contacto.”

Aprender a língua está incluído, SAUNA só para alguns!

Ana Antunes, Roma/Itália: “As aulas de italiano que tivemos, logo na primeira semana, foram uma ajuda para que me conseguisse expressar no primeiro contacto que tive na produtora. Trabalhei enquanto assistente de um fotógrafo, num projecto relacionado com emigrantes que fugiram da guerra e actualmente vivem em Roma. Dentro da minha área trabalhei como operadora de imagem em vários eventos nos quais o actor italiano Mimmo Calopresti participava.”

Bárbara Oliveira em Pori, Finlândia: O hostel onde ficámos foi bastante bom pois tivemos toda a liberdade que teríamos se ficássemos nunca casa, tínhamos todos os meios sempre a dispor e até mesmo uma sauna! 

Crescimento a todos os níveis

“Sinto que não só dei um enorme “pulo” em termos de trabalho como também tive oportunidade de crescer como pessoa e cidadã na União Europeia”, diz-nos a Mariana Gervásio, que esteve em Dublin/Irlanda. “A simpatia e disponibilidade com que fomos recebidos deve ser referida, tanto da nossa empresa como dos parceiros Erasmus na Irlanda. Sempre nos ajudaram em tudo o que foi preciso e nos incentivaram a esticar o nosso conhecimento e capacidades a um novo nível.