Queres aprender as áreas técnicas de Cinema e Televisão? A ETIC tem a solução para ti

Diversidade e complementaridade. São assim os cursos anuais da Área de Cinema e TV da ETIC. Formações práticas e especializadas, vocacionadas para o saber fazer, interligadas entre si. O objetivo é comum a todos os cursos: apresentar projetos multidisciplinares que reúnam todas as valências.

 

Captação de Imagem, Edição de Vídeo, Produção, Pós Produção e Realização. A ETIC vai ter no novo ano letivo um curso anual para cada uma destas especialidades técnicas do Audiovisual.

“São áreas de especialização indispensáveis para o Cinema e para a Televisão e todas juntas são essenciais para o resultado final”. As palavras são do professor Miguel Guerreiro, responsável desta área nos cursos anuais, que desenhou uma oferta “atrativa e multidisciplinar” para o novo ano letivo.

Aos curso diurnos de Operador de Câmara e Iluminação, Produção, Pós Produção Vídeo e Realização, junta-se, a partir de outubro, um curso pós-laboral de Edição de Vídeo.

“Com esta nova proposta, a ETIC passa a ter o ciclo de Cinema e TV completo, com todas as valências essenciais da área”, explica Miguel Guerreiro, que explica que, apesar de os cinco cursos “terem existências autónomas”, os seus alunos “vão trabalhar em conjunto, num terreno multidisciplinar”, até porque “ninguém faz nada sozinho”.

“O cinema e a televisão são trabalhos de equipa, que convocam os saberes de vários profissionais”, afirma o responsável dos cursos anuais.

Ao longo do ano letivo, os alunos dos cinco cursos terão o seu plano de estudos próprio, de acordo com a escolha que fizeram, mas “todos funcionarão em equipa e terão de trabalhar para o mesmo projeto final, que consiste na “realização de uma curta documental, uma curta de ficção e um projeto de publicidade para uma marca real”.

“O projeto é igual para todos, mas a ideia é que todos contribuam para ele na sua área. Ou seja, serão constituídas equipas com alunos de todos os cursos, numa experiência completamente muldisciplinar”, explica Miguel Guerreiro, que concretiza que “a ideia é que todos aprendam com todos”.

“Há uma grande diversidade de idades e de experiência nos quatro cursos da tarde. Neste ano letivo que agora terminou o aluno mais velho tinha 44 anos e o mais novo 17. Isso significa uma grande riqueza, porque há muitos alunos com licenciaturas e mestrados que querem fazer portfólio e estudantes mais novos que querem entrar no mercado de trabalho”, conclui.

As inscrições estão abertas, sendo que em alguns dos cursos já restam poucas vagas. Informa-te e não deixes tudo para a última hora. Olha que o filme... não espera por ti!